Publicado por: Big_DJouse | fevereiro 23, 2007

Sobre Rocky Balboa

Assisti a um dos filmes da boa safra deste ano: Rocky Balboa. É, um bom filme. Mas é recomendado apenas para quem gostou dos antigos. O filme é nostalgia pura e segue a fórmula clássica: dramalhão em quase todas as cenas, o treino regado àquela trilha sonora que não sei o nome e, finalmente, a luta. Tudo com “O Garanhão Italiano” se fudendo lindamente, para no fim triunfar, como sempre.Mas vou ser um pouco mais detalhista. Talvez tenha spoilers mais à frente, mas diabos, quem assistiu uma vez Rocky, já sabe como vai ser a história. Todos eles são um remake do primeiro. Começamos com o nosso grande Rocky fudido, como é de se esperar. Ele está velho, Adrian morreu, seu filho não tem tempo para lhe fazer uma visita, e seu único amigo é aquele traste do cunhado que só fala merda. Tudo lindo, tudo próspero.

E, para não deixar de ser clichê, o campeão mundial de boxe, Alguma Coisa “The Line” Dixon (dane-se pesquisar a internet por nomes) é odiado por tudo e por todos. A crítica o persegue dizendo que ele nunca lutou “de verdade”, contra alguém realmente bom.

Já adivinhou o resto? Exatamente. Um programa de TV que simula lutas entre antigos e novos “astros do boxe” (hehe, ficou estranho este termo) fez o confronto entre os dois e deu a vitória para Rocky. Em questão de segundos, os empresários do “A Linha” Dixon enchem de vento a cabeça dele (ou talvez já estivesse cheia mesmo) e o convencem à desafiar Rocky para uma luta de exibição. Claro, depois convidam Rocky, que mesmo velho e sem chances, aceita numa boa. Afinal, “lutadores lutam”.

Ok, até que o confronto esteja definido, você vai sofrer um pouco com o dramalhão da vida de Rocky. Sofrer no sentido ruim, é claro. Mas ainda assim, há algumas cenas legais, como a bronca que ele dá no filho e o faz se demitir de um emprego promissor. Acho que masoquismo é algo genético nos Balboa.

Porém o filme só esquenta mesmo quando começa a clássica trilha sonora (dane-se novamente, não pesquisarei nomes), e Rocky começa a treinar. Com direito à tudo, desde engolir os ovos crus até aquela subida nas escadarias. E a luta final é muito boa. Claro que Rocky perde, afinal, você não esperava que um cara de 60 e poucos anos ganhasse de um campeão no auge de sua carreira, não é? O velho ainda consegue levar a luta até o final, o que já seria um grande feito.

E é isso. Como disse, só para fãs. Mas ainda assim um bom filme. Para falar a verdade, o único Rocky que é digno de ser assistido é apenas o primeiro. Não à toa, ganhou um oscar (se bem que oscar não é lá uma medida de qualidade tão boa). Várias cenas memoráveis, que viraram clássico. Como não poderia deixar de ser, gerou inúmeras sequências caça-níqueis, que nunca chegaram à beleza do primeiro.

Só para encerrar, há uma cena neste primeiro filme da qual nunca tinha visto igual e que merece ser mencionada. O encontro romântico entre Rocky e Adrian. É tudo maestralmente tosco. Os dois, tão diferentes, não sabem como se comportar. Ele fala um monte de bobagens, bem ao seu estilo sutil. Ela, vítima de sua timidez, fica acuada em um silêncio constrangedor. O encontro culmina no cafofo dele. E Rocky, após uma série de investidas ainda mais tolas (“vem cá, senta no sofá, tem algumas pulgas, mas tudo bem”), consegue finalmente beijá-la. É dessa tosquice que nasce a poesia da cena: ambos se desejam, mas não sabem como se portar. Não há frases feitas, declarações cativantes ou beijos calientes, como os clichês que outros filmes insistem em cair. É tudo mal feito, desajeitado, e por isso mesmo, mais verossímil. Quem nunca teve seu encontro-quasímodo, que atire a primeira pedra.

Próximo filme será 300. Esse sim, promete.

Anúncios

Responses

  1. Eye of the tiger, a música tema do treinamento. =)

  2. A música de treinamento é Gonna fly now….e não Eye of the tiger do Survivor (mas esta música tbm fez parte de cenas dos filmes de Balboa)….num falo nda do comentário (cada um tem sua opinião)…pra mim Rocky é foda…tdos os filmes.

  3. Eu também gosto de todos os Rocky. Mas os filmes só repetem a trama do 1º. É por isso que digo que só o primeiro merece, verdadeiramente, ser assistido. Os outros, ficam para os fãs, como nós. =)

  4. Nossa cara, você se diz fã e fala com tanta frieza e arrogância do querido Rocky.. Sei lá, precisa rever o conceito de fã..

    Abraços, viva o Rocky, que inspirou e inspira nações de todo o mundo!

  5. É que esse é meu conceito de ser fã: admirar sem deixar de enxergar as falhas. =)

    E que isto fique bem claro: o primeiro Rocky Balboa é perfeito!

  6. Concordo com você, o primeiro é brilhante! Roteiro simples (escrito pelo próprio Sly), baixo orçamento, boas atuações e cenas antológicas. Parece que Stallone se inspirou nele próprio para escrever a história, afinal ele era um fodido que ninguém conhecia e só conseguiu atuar no filme porque exigiu que só venderia o roteiro se o deixassem interpretar o Rocky…
    Quanto as sequências…apenas caça-níqueis como vc mencionou.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: